E-mail a Paradigma

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

E-mail a Paradigma

Mensagem por Roberto 454 em Dom Abr 20, 2014 6:17 am

Terra Nova Terranova <terranovamarilia@gmail.com>
13 de abr (Há 7 dias)

para ana.claudia
Gerson Santos
8 de abril às 10:29

"Gerson Santos
8 de abril às 10:29
"Bom dia á todos só para não cair no esquecimento procurei um calheiro para fazer um reparo em casa semana passada,como sempre não esta fácil desses profissionais cumprir com seus horários não é mesmo,só que hoje sem eu menos esperar deparei com o mesmo na porta de minha casa,....puxa que surpresa ,como conseguiu entrar senhor calheiro...falei que tinha um serviço para fazer e não lembrava do numero da casa,a portaria nem ao menos perguntou o nome do morador,eu pergunto  pergunto o calheiro errou?....vamos entrar na questão e se( fosse) uma pessoa mal intencionada....cada a segurança que eu pago vale lembrar que meu interfone funciona sim,e também pago no meu boleto como todos conta de telefone,senhores por gentileza vamos cobrar mais atenção dos prestadores,este porteiro que esta hoje é um tanto desatento,não é a primeira vez,sempre questionei sobre a dificuldade sem os interfone mais quando tem o porque de não usar.
um bom dia á todos."


Eu começo essa correspondência com esse comentário postado na nossa página do Facebook, mas não é o motivo principal.
Há algumas semanas pedi para o Michel mandar a moto para o mecânico e instalar o giroflex na mesma, pois quando ficamos acordados durante a madrugada, não percebemos a passagem do ronda pela nossa rua e como isso poderia ser devido ao possível modo silencioso que poderia estar passando desapercebido (desengatado) mandei instalar o aparelho.
A desconfiança e relatos de vários moradores parece ser verdade pois, mesmo desengatado, não fica imperceptível com o giroflex. Para isso peço o favor de me relacionarem todos os dias deste mês, os registros das canetas, embora isso também possa não demonstrar o trajeto percorrido pelo ronda.

Uma das queixas do Ricardo era a "demolição" do que ele construía, no dia seguinte pelo outro porteiro fazendo concessões que ele não fazia e isso já presenciei quando repreendi um visitante/parente de morador que adentrou ao condomínio fazendo curva a quase 40 km/h e depois verificando, não havia registro da sua entrada. Deve ser conhecido pelo porteiro e por isso dispensou a identificação mas não é esse o procedimento ainda mais com um carro de prestador de serviço fora do horário permitido (era um carro da Vivo).

Dos problemas mais graves que nosso condomínio já  passou, o pior deles foram os furtos no início de 2013 (nove) e esses foram facilitados pela permanência do veículo de prestadores de serviço na vaga dos moradores e o impedimento disso é inclusive norma da nossa  convenção. Mas é só sair do meu escritório e dirigir-me a minha residência passando por 3 ruas que não raro encontro alguns desses prestadores estacionados dessa forma irregular, na vaga do condômino.
Já cansei der avisar que não pode e só vão avisar ao indivíduo porque eu mando!
Ontem, indo com o Michel buscar uma material que usaríamos na casa de um morador em outra rua , encontramos dois  prestadores com seus veículos estacionados dessa forma, e isso em apenas duas ruas que circulamos.

Gostaria de aproveitar e lembrar também que o síndico aqui sou eu e não o sr. Josias Arruda ou a sra. Priscila Peloso. Então quando quiserem saber alguma opinião a respeito da situação do condomínio dirijam-se a mim e não a eles, mesmo porque a a sra. Priscila Peloso não pertence mais nem ao condomínio (mudou-se), ou então, ao menos, coloquem-me a par do discutido.  Não quero, não preciso nem gostaria de me indispor com o o vosso supervisor, mas isso não caracteriza parceria, e treinamento efetivo é aquele que consegue resultados satisfatórios e não acomodações ao bel prazer dos subordinados. Não adianta só ensinar ou explicar como fazer, mas fazer o outro aprender e colocar efetivamente em prática. Já me reclamaram também (vosso funcionário) da ausência de supervisão ao condomínio, da demora de visitas habituais.

Quando de visita aqui, como ontem, considero de bom tom, espontaneamente, que me participe da visita que creio ser importante, pois essa visita uniu supervisor e gerente operacional. Pode não ser nada, mas mesmo assim gostaria de saber o que estiver se passando porque o que está aqui dentro, seja o que for, é da minha responsabilidade, ou não?.

Já me comentaram também reclamando de  ronda que conversa demais vigia da estação de tratamento.

Não se incomodem com moradores que telefonam para vocês queixando-se de funcionário que trabalha para mim no seu dia de folga, dizendo que à noite dorme ao invés de trabalhar. Sem falsa modéstia, com a lisura que levo essa administração, quem ligar a vocês reclamando de procedimento meu, é da banda dos que fiz perder os "privilégios"   do condomínio e, no caso o Diego, muito me auxiliou com o seu serviço extra, numa troca que beneficiou aos dois: ao condomínio que economizou e a ele que conseguiu uma renda extra com  a disponibilidade do cargo lhe propicia e o que fez, fez bem feito.

O motivo principal de estar lhes escrevendo foi ocorrido na véspera do feriado passado. Ajudei ao Michel a abastecer completamente a moto. No dia seguinte, o Carlos reclamou que  o tanque estava a menos da metade. O Michel teve a ideia e adotou a seguinte providência: trocou a tampa da nossa moto com a moto dele, de forma que para abastecer (ou abrir o tanque) teria que ser com a chave dele (ou a cópia que ele deixou comigo). Resultado: abastecemos até ficar cheio o tanque na segunda pela manhã e só fomos reabastece-la na sexta feira à tarde calculando ainda uns dois litros antes da reserva!

E também o fato do porteiro pela manhã me reclamar que recebera o interfone mudo. Pensamos que fosse devido às pilhas gastas e as troquei, mas depois descobri que simplesmente haviam desligado da extensão elétrica, a tomada da central .  

As coisas que aborrecem a verdade são os exageros e afirmar que solucionando-se os interfones, 70% dos problemas do condomínio estarão resolvidos,não procede, pois os problemas acima pouco dependem de interfones e mais de obediência às normas e determinações.

Particularmente também sinto-me com que tivesse com que me contentar com o status quo da vossa empresa dentro do nosso condomínio porque quem desobedece  às próprias regras  são os condôminos. Porém não são a maioria e isso também não é exclusividade do nosso condomínio. Se temos condôminos que fogem a regra dos desregrados de praxe em qualquer condomínio, manter a ordem com esses é a minha necessidade premente e me ajudar como  parceiros nessa minha situação é o que eu esperava de vocês, mesmo porque nunca escondi essa singularidade do nosso condomínio, constatada pela própria Andreia no dia seguinte à assembleia que os escolheu a Paradigma, ao saber que o "amigo" que demonstrava preferência por vocês, jogava dos dois lados e cuja índole é bem conhecida do próprio Luiz Carlos.
A minha parte, na  disciplina do nosso condomínio eu faço como posso e suporto, aguentando ameaça de morte por motivo fútil, agressão por multa, ameaça por notificação, e sempre defendi o funcionário expoente de vocês que muito contribuiu e suportou a carga para o bem do nosso condomínio, mas teve tudo desfeito, talvez por falta de uma assiduidade maior da supervisão, dando-lhe respaldo ao cobrar os outros funcionários do padrão que ele tentava estabelecer; e  mesmo que eu corra o risco de processo por parte de uma quadrilha que tentou desestabiliza-lo, por publicar o vídeo do ocorrido na rede social, para mostrar aos condôminos quem era quem aqui dentro .
É entendimento meu que deve-se fortalecer a cabeça de ponte que funciona e não recuar para a segurança da trincheira. Será que o Ricardo teve o  respaldo realmente necessário, na hora adequada? Não tive tempo para verificar, mas com a perda do Ricardo, tenho a impressão (posso estar enganado) que estamos nos mesmos moldes da SPSP e isso definitivamente eu não quero.

Também não escondi nunca a nossa situação financeira, que aos poucos melhora e tudo que posso para fazer e concluir o que foi objetado por vocês naquela reunião que tivemos,está sendo executado de alguma forma. A dificuldade é a gravidade da manutenção, mesmo que mínima, como os interfones e a disponibilidade de bons profissionais que têm ate´ dificuldade em apresentar um orçamento. Para interfones já solicitamos quatro profissionais e já tivemos as mais diversas opções de manutenção, desde investimento na casa de R$ 250.000,00 a R$ 300.000,00 reais com alto valor de ponto assistido e risco de ficar sem as instalações em caso de quebra ou extinção de contrato, à propostas de troca de todo cabeamento comum, á manutenção regular pertinente ao tipo de tecnologia que temos. Mas como não sabem exatamente "onde estarão colocando as mãos", relutam em apresentar com mais brevidade os seus orçamentos. Ou então devem ter dificuldades e apresentar um orçamento "limpo".

Reclamo a vocês também a conclusão do cadastro de moradores, iniciado no começo da vossa vigência aqui . Ainda bem que um equívoco meu impediu de formatarmos o cadastro anterior, pois seria provocado um caos devido ao cadastro anterior conter os dados dos cartões de acesso que estariam perdidos dessa forma. Há a possibilidade de fazer-se esse cadastro liberando do computador o porteiro, imprimindo-se esse mesmo cadastro e colocando em pasta. Só fico a espera de vocês.

Da minha parte já estamos implantando as lombadas, principalmente no acesso de moradores ao condomínio,  já comprei os dois no breaks ( um para o computador  e outro para os interfones, os dois de 1400 Va e possibilidade adicionar-se bateria automotiva, aumentando o tempo de fornecimento de energia armazenada ), já coloquei outra película nos vidros da guarita e retirei as grades, instalei o espelho côncavo e luz de emergência. Na próxima semana serão instalados sensores de presença nas partes críticas da frente  do condomínio com alguns acendendo lâmpadas por proximidade e num outro um alarme sonoro na saída de moradores onde entram por ali condôminos desavisados. A zeladoria já pode ficar bem mais tranquila com as ferramentas que adquiri, tornando-a bem independente e autônoma (e melhorarei mais ainda)  Consertei de forma efetiva os portões e o sistema já está bem abastecido de cartões de acesso restando bem poucos moradores que ficarão sem o cartão quando da reforma do controle de acesso (cancelas).Estou fazendo tudo (como posso) o solicitado por vocês. Fora isso, estou melhorando o tratamento dado a todos os funcionários com a aquisição de fogão e apetrechos para café, aquecimento de marmitas, geladeira e o próprio escritório (do condomínio) que será mais ágil na comunicação com os condôminos no que se refere a procedimentos, decisões e organização como um todo.

Porém, estou um pouco desamparado pela preocupação que me causa as falhas glamourosas da  nossa Administradora , com a saída da Priscila, pela quantidade de serviços administrativos que tenho por responsabilidade e que não vejo como transferir a outra pessoa, tendo que eu mesmo fazer. Não há por enquanto outra forma de realizar isso, pois as condições não me permitem outros parceiros. Pelo contrário, tenho ainda que tolerar e me indispor com pessoas de má índole que ficam plantando notícias falsas para desestabilizar  a minha administração, chegando até  a dizer que eu esteja querendo tirar a empresa de vocês (o Ricardo pode comprovar isso dizendo quem seja a pessoa em questão)  

Me sinto mal tendo que cobrar isso de vocês e gostaria de não proceder dessa maneira, mas sinceramente sinto que deixaram "a bola cair" e se não for isso, também não me contam o que estejam planejando. Parece que tudo está correndo bem, mas o que escrevi acima demonstra que não.

Gostaria que a portaria fosse espontaneamente  semelhante ao Michel (a quem agradeço sempre) que tenho mais que segurar firme "as rédeas" para que não avance tão rápido e nunca me preocupar em ter que empurrá-lo.    

Antes de concluir esse e-mail, saímos, eu e minha esposa, para visitar um amigo. Voltamos de carona com ele por volta das 22,30h e resolvi testar a portaria. Entramos pelo portão de moradores, com vidros fechados e molhados pela chuva rala. Bastou dar uma buzinadinha que o porteiro, o mesmo  que fica (va) assistindo dvd no monitor  abrir a cancela, da mesma forma como já vi do meu escritório, isso acontecer várias vezes durante o dia.    

Se nos dispusemos a trabalhar como parceiros, creio que chegaremos a uma solução, que será melhorada e aperfeiçoada sim com a manutenção dos interfones, do novo sistema de acesso com cancelas mais rápidas e enclausuradoras e sistemas de acionamento de portões mais robustos. Mas como descrevi acima, muitas coisas independem disso. Se a sempre minoria de moradores problemáticos, aqui no nosso condomínio é coisa singular e difere nesse ponto dos outros que vocês trabalham, lembrem-se que esse desafio é meu também e agora, mais que nunca, estou sem parceiros visíveis tendo que ir a frente sozinho. Mas com a ajuda de Deus eu vou e aguardo os que me acompanharem."



Atenciosamente,


ROBERTO CORRÊA DE ANDRADE
Síndico


avatar
Roberto 454
Admin

Mensagens : 167
Data de inscrição : 06/05/2013
Idade : 58
Localização : Marília - SP

Ver perfil do usuário http://condominoterranova.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum